• Pedro

Mantas

Chegou a época de usar mantas!


Já chove e as noites estão mais compridas e frias. Chegou a altura do ano em que lavamos e arrumamos as mantas anti-moscas e voltamos a pegar nas mantas para o frio. Muito provavelmente teremos que substituir uma ou outra ou comprar uma nova para aquele cavalo que chegou durante o verão.


Durante os meses mais frios não podemos evitar usar mantas para proteger os cavalos das temperaturas mais ou menos rigorosas, do vento, da chuva ou da neve, dependendo das condições em que vivem ou de como estão estabulados.


Na hora de escolher uma manta, devemos saber distinguir os tipos principais de forma a comprar a manta adequada ao fim a que se destina.



Mantas de estábulo ou interior


Geralmente fabricadas em materiais leves como o algodão, as mantas de interior estão disponíveis sem enchimento (mantas finas) ou com enchimentos de várias espessuras (mantas médias e grossas), e devem ser seleccionadas conforme a temperatura ambiente e de forma a manter o cavalo confortável e com uma temperatura corporal estabilizada.


Algumas mantas podem apresentar um forro de lã, bastante confortável, acolchoamento extra na zona do garrote, e às vezes um remate em pelo na zona do pescoço e espáduas.


As mantas dispõem sempre de fivelas ou tiras de velcro para fecho e ajuste na zona do peito, bem como tiras por debaixo da barriga e pelo interior dos membros posteriores, de forma a mantê-las ajustadas ao cavalo durante os movimentos.


Normalmente dispõem também de cortes na zona das espaduas, para facilitar os movimentos.


As mantas de interior não são impermeáveis, logo não adequadas para utilização no campo.


As mantas HOLI, PARANA e VERA, da Hispano Hípica, com enchimentos de 100g, 200g e 300g, respectivamente, apresentam das melhores relações qualidade preço do mercado.



Mantas de exterior


As mantas de exterior, especificamente as concebidas para proteger do frio e da chuva, têm de ser robustas, duráveis e impermeáveis, e resistir às actividades normais no campo como sejam correr, espojar, e até mesmo resistir às brincadeiras e mordidelas naturais entre cavalos soltos. Para o exterior, aconselhamos as mantas NILDA, específica para as temperaturas mais amenas do outono e da primavera, sem enchimento e forrada com tecido polar, e a LOPA ou a DEVA com enchimentos de 100g e 300g, respectivamente.



As mantas apresentam dois parâmetros aos quais devemos dar atenção:


1. o primeiro chama-se número Denier, ou simplesmente “D”, e tem a ver com a robustez e durabilidade do material. É comum vemos nas etiquetas o número 600D, 1000D ou 1200D. Quanto mais alto for o “D”, maior será a durabilidade do material;

2. o segundo tem a ver com a espessura do enchimento, em g/m2, e quanto maior for essa gramagem, maior será a protecção contra o frio. Este enchimento pode ir até 600g/m2;


A tabela seguinte dá uma orientação da gramagem do enchimento em função da temperatura ambiente.


Mantas de verão


No verão é igualmente importante proteger os cavalos com uma manta fina, ou um summer sheet, normalmente fabricados com materiais ultraleves e respiráveis, de forma a manter o cavalo fresco e limpo e a protegê-lo do calor do sol e das radiações UV. É importante verificar regularmente que o cavalo não está quente demais e que não houve sudação por baixo da manta.



Mantas de secar


As mantas de secar ou polares são uma peça fundamental e multifuncional do guarda roupa do cavalo. Fabricadas em tecidos respiráveis, normalmente em malha polar, estas mantas absorvem a humidade e facilitam a transferência do suor para o exterior, o que as torna adequadas em diversas situações, como por exemplo:

a. acelerar a secagem após o duche;

b. ajudar a aquecer os músculos antes do trabalho;

c. evitar o arrefecimento brusco depois do trabalho;

d. manter o cavalo confortável entre aulas de escola e em viagem;



Mantas anti-insectos


Feitas de uma malha larga e extraleve, normalmente com uma elevada percentagem de polyester, as mantas anti-insectos são usadas ​​principalmente no verão para proteger o cavalo de moscas e outros insetos irritantes, permitindo que o ar flua através do tecido, sendo que algumas também protegem das radiações UV e dos efeitos da exposição directa da pelagem ao sol. Algumas mantas anti-insectos apresentam propositadamente um padrão tipo zebra, uma vez que alguns estudos mostram que este padrão repele as moscas com eficácia.



Cobre-rins


Os cobre-rins são usados durante a estação fria ou quando chove, no trajecto entre o pátio e o picadeiro, enquanto o cavalo aquece e imediatamente após a sessão de trabalho. Servem para manter quentes o dorso e os rins do cavalo. Podem ser impermeáveis ou não, apertam normalmente à frente da sela com um fecho de velcro e apresentam uma forma que permite o contacto das pernas com o cavalo.

31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
 
  • Facebook ícone social
  • Instagram